Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

33º

Acho que árvores foram gente, antes de árvore ser
Vejo galhos abraçados em galhos que fingem braços o tronco envolver
Vejo costas viradas avessas fingindo cabeças das folhas nascer
Cipós como dedos se fazem cabelos na copa mais alta
Por trás do vidro, balanço nas horas que o relógio gosta de dar
Esqueço pelos ouvidos
O fone me mata a fome de música
Alto de dentro da nave,barulho acostumador
Aqui dentro uma lembrança fresca
Me confunde a cabeça
Não lembro de dor
Juro,nem lembro de onde
mas meu novo nome se fez amor.