Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011
''eu sou do peso. eu sou daquilo que dói. eu sou exatamente desse jeito. tranquilidade não me acalma. paz de espírito me angustia até o osso. eu vivo nesse turbilhão para constatar o fato de que eu não me sacio com a leveza. com o marasmo e a beleza da leveza. porque eu vejo que bonito é o feio do meu avesso revirado. bonito é minha solidão de princípio. minha raiva contínua que estoura na pele. bonita é a minha insônia. minhas olheiras que guardam o tormento de todas as coisas que eu somatizo. eu sofro de humanidade.''


Camila Pereira M.