24 de fevereiro de 2008

Sábado

As nuvens cinzas e o vento estava frio.Cada gente , cada um com um rumo, coisa louca.
Passam mão na cabeça , aprumam o óculos na fase , algumas bocejam , algumas ainda dormem , ouço a tristeza literalmente.
Meu amigo fala sobre Che como muitos falam de Deus ,leva o livro que conta das sua lutas por aí ( diria guerrilhas) como se fosse a bíblia, uma conversa boa que me faz esquecer o tempo , ando atrasada , mas não olho o relógio, me vejo andando sem mover as pernas , mas pelo espelho vejo meus passos não tão apressados mais ligeiramente desesperados.
Vejo gente rindo , imagino pra onde vão , como são suas casas , coisa louca , tenho mania de imaginar como é a vida dos outros ,seus trabalhos , será que são felizes ? , mas não queria viver como elas , acho mesmo minha vida mais interessante apesar de nada não troco não.
A tristeza na metade a parte que mais gosto o céu cinza e o vento frio , um comentário entra no meu ouvido esquerdo diz que o lago do 7º BEC tem forma de peixe , coisa louca , passo lá pela frente todas as tardes e nunca prestei atenção na forma do lago do sétimo bec.
O velho puxa o fio e me olha na alma , deu medo , ele puxou um fio de medo dentro de mim também , quem é esse hein? perguntei pra Bruna.
Depois eu chego no corredor claro por causa das paredes brancas, cheiro de mofo meu nariz sofre, rinite da porra.
Ai aquela porta amarela , estreita e pesada por causa da mola que colocaram atrás , sabem aquele négocio que faz a porta se fechar sozinha? eu não sei o nome ... os olhos me olham e me sorriem esses são meus me fazem sorrir também.
Depois eu volto, parece que nem fui , passou rápido demais sempre tive a impressão que as horas da manhã passam rápido demais. E nessa volta a placa que diz Retorno me provoca...nas manhãs as horas correm , coisa louca.
Ai é coisa ''pra dedeu'' quase não cabe nos olhos são cores , flores , amores e dores o cinza prevalece lá no alto e na mente,na pele ,no tudo a sensação de não ter nem levantado da cama senão fosse os rabiscos de grafite aqui eu acreditaria de verdade nisso acharia que não acordei.Sou sônambula? tenho medo disso , morro de medo de quem fala enquanto dorme, se levanta , morro de medo eu morro.

Um comentário:

  1. ;]
    Eu chamo isso de Exaltação da emotividade subjetiva.
    Ou poderia ser simplesmente um dia em q a gente presta atenção em cada detalhe, ver as coisas de outras formas, vemos cores, desenhos, idéias e sentimentos.
    Gosto deste "porão". ;]

    ResponderExcluir

dá pitaco