Pular para o conteúdo principal

Só sei que ...

Aos poucos o esforço, esse que é meu amigo não de infância mas incrivelmente fiel à mim , se faz mais que presente.Mesmo conhecendo-o há tão pouco e tão pouco ,não sei até onde ele me acompanhará . Ele é quase fatal, mas me ajuda tentando me dar mais força na minha convalescença.Passo por um miasma torturante mas incrivelmente , milagrosamente ,suportável , porque resta o final sempre tem o final o final ajuda o final serve de alvo o pouco que resta também estímula se não o ali tivesse nem sei.O final ,o que resta , digo também o futuro faz ter significado.E além do esforço fiel , tenho o infiel nisso tudo. As palavras. Infiéis e sorrateiras, pérfidas, por que?
Já disse uma vez , pra alguém em algum lugar , as palavras tomam forças sozinhas falo dessas que se escrevem. Elas se intensificam evoluem de forma diferente, sofrem mutações em cada cérebro e nos olhos dos que as vêem, lêem,elas te traem , te entregam porque se permitem exagerar-se sem te pedir anuência.Elas não traduzem simplesmente a realidade delicada mas o que ocorre é transfiguração pra mim elas são arte , a arte se transfigura.Vai à merda as palavras são inimigas precisas ...e que antítese agradável.Eu acho isso muitas vezes. A Clarice diz ''Sou tão implícita.E quando vou me explicitar perco a úmida intimidade''. Eu me explicito muitas vezes com ajuda das palavras.
Mas Clarice , não é somente por tua culpa não , acho que as palavras possuem um poder sobrenatural de evolução também ...porém é com elas que me permito liberdade. Elas são precisas e quando falo ''precisas'' não quero dizer ''certeiras'' mas que são a única forma ou umas das mais intensas então indispensáveis , únicas , o único ou talvez um dos meios , pro imediato, pro presente , pro instante , pro já se deixar espelhar.Traduz cruelmente muitas vezes.Infiéis amigas da necessidade demasiada pela liberdade de se deixar mostrar o que se encontra e como se encontra.Elas querem se vestir de ti , ser você pelo ao menos no presente, no instante , no já , eu entendo elas apesar de tudo ou de nada. Eu faço uso delas e elas fazem uso de mim quase abusam é uma guerra justa, mas sempre saio com sensação de fracasso elas são fortes e intensas, mas eu as entendo , são inimigas precisas, pra mim elas definem a antítese. E por serem útil a mim merecem todo o meu apreço. Me deixam bem e leve , mesmo tendo eu por elas receio.As respeito.Tenho o fiel e o infiel os dois se somam e é à eles que recorro , os dois formam o meu refúgio.Graças à mim , me desculpe senhor Deus.

Comentários

  1. rapaz, eu fiquei com preguiça de ler oh, mas já que eu vim aqui e vi aquela arte lá do 'reuniões secretas no porão do meu cérebro'
    eu te pergunto, foi vc que fez? Oo
    ficou demaaaais.

    ResponderExcluir
  2. 'só sei que nada sei'
    desculpe, mas eu não pude evitar de completar a frase, encaixa perfeitamente com o texto..
    =)

    ResponderExcluir
  3. só sei que...
    que todas essas coisas e sentimentos..
    são palavras..
    e o melhor caminho..
    para não ficar perdida em anseios e desejos..
    é saber o que estas palavras significam..
    e utilizá-las e lhe darem sentidos..
    é fzr um Post e passar alguma emoção. ;]
    ;*

    ResponderExcluir
  4. o que disse Clarice cabe-me muito bem...
    As palavras sempre foram minha forma de liberdade -palavras escritas são pensamentos expressivos mais bem elaborados...
    gostei do seu blog tbm!
    posso linkar?

    ResponderExcluir
  5. o que sei, o que eu sabia e o que eu aprendi, é que cada palavra que alguém solta no papel tem um sentido único e que visto com vários pensamento, o que eu penso, é que cada pessoa tenta se colocar no lugar onde estais pra poder saber o que passa no seu intimismo, cada texto é o porquê de cada pensamento.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

dá pitaco

Postagens mais visitadas deste blog

Relato sobre a viagem de férias para a Venezuela - Isla Margarita/ Valência ( Tucacas e Chichiriviche)

Como havia dito resolvi fazer um relato descrevendo a minha experiência na ilha, pois sei que ajuda muito quando queremos fazer uma viagem, principalmente para outro país, e você encontra alguém que já foi pra te tirar dúvidas e dar dicas. É claro que tudo que eu vou dizer será baseado na forma que fui, quem contratei etc, cada terá uma experiência diferente. Neste relato separarei os temas por tópicos, desta forma você só ler o que lhe interessar ;)
Documentos necessários RG –  você precisara dele para tirar sua “permiso”, uma ficha com seus dados, carimbada na fronteira pela Instituição Venezuelana chamada SAIME. Passaporte não é necessário pois a Venezuela é um país integrante do MERCOSUL, leve ele somente se você estiver sem RG, ou se seu RG tiver com a data de emissão vencida( ter mais de 10 anos)
O permiso será um documento que você apresentará em vários lugares ( barreiras rodoviárias, hotéis, na entrada de alguns parques etc) portanto cuidado para não perder, caso isso aconteça, …

Da Arquitetura e suas formas -Memorial descritivo do Terminal Rodoviário.

A Rodoviária que idealizei apresenta elementos que vão além da sua principal função que é locomoção interestadual. Apresentando dois pavimentos ela conta com serviços voltados ao cidadão, caixas eletrônicos, correios, posto de vacinação, salão cultural e uma ampla área destinada à alimentação, todos esses serviços levam cultura e lazer para os moradores do bairro servindo como uma opção de entretenimento daquela região. Para os que os futuros passageiros ou recém chegados a rodoviária apresenta estrutura que atende-os confortavelmente, contando com balcão de informação, saguão de espera amplo com vista para as saídas e chegadas de ônibus tanto no térreo quanto no pavimento superior.Para aqueles que ainda estão em viagem o edifício oferece, sala de espera e banheiros com a estrutura necessária para que o usuário usufrua-o da melhor maneira. Os funcionários trabalharão em espaços bem pensados e dimensionados de acordo com as suas rotinas de trabalho, funcionários da limpeza terão sala p…
As unhas afiadas reverberam no crânio, e elas, finas e precisas trazem êxtase e sono.
Durmo, ainda que de olhos abertos, desconectada do agora, no arrepio dos pelos, um bocejo e uma lágrima.