29 de novembro de 2008

Tulipas Murchas

uma taça de vinho
e um poeta me segreda
ao pé do ouvido
que não reflorescem
as tulipas murchas

um chope na esquina
e um passante me conta
os segredos da vida

um prosseco estourado
e da areia não vejo o sol se pôr

nos solovancos do ônibus
escrevo por linhas curtas
minhas verdades tortas

por terra jaz a emoção


Omar Salomão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

dá pitaco