11 de novembro de 2008

Espera para el mes de enero

Eu tenho tanta saudade de ouvir música...tenho unhas que depositam tintas das mais variadas cores,mãos com camadas de cola de isopor ,a minha droga preferida,desejos de leituras gostosas, livros com a história refletida,livros do arquiteto admirado, nas mãos.Nas parcelas do dia gargalhadas sobre coisas da vida com pessoas que descobri dentro e fora de mim,luta com relógio regada à desespero, aquele da parede da instituição que controla, aquele do telefone movél ,aquele dos braços esquerdos das pessoas que cruzam meu caminho, sou neurótica com horas, sempre fui e minha vida a lá fórmula 1 me afoga na neurose,''neeeurose' naquele tom de voz da Carla.Meu quarto foi esquecido,minha cama não conhece mais meu peso,meus sonhos, meus choros,ela diz pra mim que tem saudade.Estante que guarda poeira que camufla a vida, esconde os movimentos dos objetos e aquele armário onde as roupas dançam escondidas de mim.De quarto à ateliê ,tudo mudou de lugar,revistas atrás das portas, pensamentos engavetados, papéis guardados, bilhetes amassados do tanto que foram dobrados dentro da carteira que descama inteira.Os olhos voltados somente pra mim me torna invisível, parece que esqueci de mim fazendo exatamente o contrário:é por cuidar de mim que de mim esqueço,estranho mas é verdade e mando outra:é por estar vivendo demais que acho que não estou vivendo e me sentindo morta,a intensidade me rege, ou sou eu que somatizo?não mesmo.Hoje( agora e sempre) serei/sou como uma operária do sec XlX, vivo em função do meu futuro.Agora sou resquício...sou resquício de mim até dezembro e isso não me deixa triste, nunca estive tão feliz, descobri mundos e agora sei que é possível.Obrigada por me lembrar da liberdade sem querer.Bem pensei que estivesse horrivelmente mal , terrivelmente dilacerada, desiquilibrada emocionalmente,desacreditada,talvez estivesse,talvez estive,talvez esteja mas eu ignoro, e os o pretéritos dos verbos não importam mais.Ainda tenho fios de medo correndo feito loucos no peito,chamo-os no momento de adrenalina, minha prima chama de prolapso enfim deles não me livrei eles doem e me fazem tremer, me acostumei.Pretendo fazer terapia um dia, segundo minha tia ''hoje em dia todo mundo é louco '', como pretendo também ver meu pai ,quando eu tiver um tempo,isso me consome eu sei que a desculpa é tola.Deixa eu traçar meu futuro que ele me apetece, não quero pensar nisso agora, também não sei quando vou pensar.Eu já estou pensando.Eu juro

Hasta enero compañeros!

5 comentários:

  1. realize!




    e, se você está feliz, é o que basta.

    ResponderExcluir
  2. "Deixa eu traçar meu futuro que ele me apetece, não quero pensar nisso agora, também não sei quando vou pensar" <- Certinho pra mim...

    Sou apenas um pobre aspirante a muitas coisas nessa vida. Difuso e confuso, que não sabe ao certo o que haverá no fim da estrada. Mas... e daí? Sigo caminhando e é só. E como diria Lobão: "eu não posso causar mal nenhum... a não ser a mim mesmo... a não ser a mim..."

    Não conhecia seu blog, nobre colega! (hahaha! posso te chamar de "colega", né?). Abraço. Mouse

    ResponderExcluir
  3. Mamãe,

    Eu tenho muito orgulho da senhora.

    ResponderExcluir
  4. Haahahaha!! Pois é, colega... o que seria de nós, pobres humanos, sem a nossa "dose diária de drama", não mesmo? Heheheh... Só me irrito às vezes qnd uma pessoa vem pedir ajuda de um problema que ela mesma causou, mas que, na verdade, não quer solução... tipo, se vc ajudar e resolver o problema, ela ficar p. da vida com vc... "quero meu problema de volta!!" hahahaah!

    Bom feriado pra ti, tá? o/

    ResponderExcluir

dá pitaco