8 de abril de 2009

18º

eu não sei dizer o que sinto quando sinto raiva.sentir raiva como eu.sempre me falta o fôlego e esse vermelho bate tanto que incomoda, minha vontade e de mudar ele pro lado direito,bateu a vida toda no esquerdo, viciou a carne.quero mudar o lado dele.quando no buraco caio ao fechar os olhos, fito o escuro e ele bate incomodando tudo, pertubando e azucrinando minha cabeça, azucrina,azucrina!quando sinto raiva de sentir como eu sinto raiva meu respiro tem som de vapor de panela e elas dizem que eu sou desequilibrada,louca é essa menina! essa menina é louca! elas dizem porque não sabem como eu me sinto, ao sentir como eu sinto raiva.quero dar socos,grito porras e caralhos em ecos,eu parto pra cima em espiríto.quando mãos de terceiros movem coisas do canto que é meu e que por aqui é de todos(penso que esse quadrado tinha de ser meu mas não é!).princípios familiares socialistas.respeito.ela arma aquilo pra se balançar e ouvir os sons das músicas que ela tem, ela se enche de paz e sai! Ah mas a desapercebida não sabe desarmar,nunca desarma o que ela usa pra escutar o som da paz dela porque ela não sabe como é sentir, como eu sinto raiva, não! ela não sabe.farei ela desatar os nós com os dentes,cega ficará a boca dela sem os dentes que quebrará, desatará com os dentes os nós cegos, porque ela não sabe como é que eu me sinto ao sentir a raiva, como eu sinto, quando tenho raiva.


-você não sabe o que sou eu em fúria. tampouco eu sabia até onde ela ia e agora sei e agora elas sabem.

6 comentários:

  1. ''eu parto pra cima em espiríto''...


    muito bom...


    prosa poética da boa!


    rsrsrs


    bjosss

    ResponderExcluir
  2. ... dúvidas desse grande sentir. a descobrir!

    abraços


    (=

    ResponderExcluir
  3. é a THALYTA é assim msm..! :D

    ResponderExcluir
  4. Mas que raiva menina...

    hehehehehe

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. ... alguém que por cá passou, onde os escritos chamaram-me a atenção...

    oi

    ResponderExcluir

dá pitaco