Pular para o conteúdo principal
Ele caminhava indiferente à movimentação trepidante das coisas, à fulguração quente dos carros e à pressa do dia quando parou frente à porta e assim, num passo incerto ou dois, talvez mais e tão incertos quanto, ele adentrou e foi engolido, nesse repentino de dois ou mais passos, por um redemoinho: existiam infindáveis e indefiníveis pessoas que se acumulavam e se amontoavam numa quase desordem, forjando cuidado e até mesmo interesse, dispostas umas ao lado das outras, ansiosamente animadas, entremeadas por outras tantas pessoas que se acumulavam e se amontoavam num quase compasso, mas que, por certo tumulto, trombavam estantes, infindáveis e indefiníveis estantes que se acumulavam e se amontoavam numa quase seqüência, forjando simetria e até mesmo lógica, dispostas umas ao lado das outras, embriagadamente equilibradas, entremeadas por outras tantas estantes que se acumulavam e se amontoavam num quase caminho, mas que, por certo descuido, confundiam pessoas e também ele de passos incertos, confundiam e misturavam livros, infindáveis e indefiníveis livros que se acumulavam e se amontoavam numa quase solidez, forjando blocos e até mesmo fileiras, dispostos uns sobre os outros, babilonicamente erigidos, entremeados por outros tantos livros que se acumulavam e se amontoavam numa quase muralha, mas que, por certo zelo, ele percebia, por certo zelo quase desastrado espremiam páginas, infindáveis e indefiníveis páginas que se acumulavam e se amontoavam num quase desleixo, forjando retas e até mesmo beleza, dispostas umas após as outras, sistematicamente encadernadas, entremeadas por outras tantas páginas que se acumulavam e se amontoavam num quase capricho, mas que, por certo pudor, por certo cuidado, escondiam palavras, palavras que ele aos poucos desvendava, palavras que corriam sobre a ponta de seus dedos, infindáveis e indefiníveis palavras que se acumulavam e se amontoavam num quase desenho, forjando frases e até mesmo idéias, dispostas umas ao lado das outras, umas sobre as outras e até umas por cima das outras, narrativamente costuradas, entremeadas por outras tantas palavras que se acumulavam e se amontoavam num quase conflito, mas que, por certo segredo, por certo mistério, escondiam não um, mas infindáveis e indefiníveis mundos inteiros, e para ele, ao menos ali, no centro exato do turbilhão, alguma coisa fazia sentido.

Maurício de Almeida é formado em Antropologia na Unicamp é autor de Beijando Dentes (Ed. Record), livro de contos vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2007, o meu livro vai chegar por aqui! tou num aguardo ansicioso.Tem mais contos aqui.Ele é foda.
Vai em autores e clica no nome dele.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relato sobre a viagem de férias para a Venezuela - Isla Margarita/ Valência ( Tucacas e Chichiriviche)

Como havia dito resolvi fazer um relato descrevendo a minha experiência na ilha, pois sei que ajuda muito quando queremos fazer uma viagem, principalmente para outro país, e você encontra alguém que já foi pra te tirar dúvidas e dar dicas. É claro que tudo que eu vou dizer será baseado na forma que fui, quem contratei etc, cada terá uma experiência diferente. Neste relato separarei os temas por tópicos, desta forma você só ler o que lhe interessar ;)
Documentos necessários RG –  você precisara dele para tirar sua “permiso”, uma ficha com seus dados, carimbada na fronteira pela Instituição Venezuelana chamada SAIME. Passaporte não é necessário pois a Venezuela é um país integrante do MERCOSUL, leve ele somente se você estiver sem RG, ou se seu RG tiver com a data de emissão vencida( ter mais de 10 anos)
O permiso será um documento que você apresentará em vários lugares ( barreiras rodoviárias, hotéis, na entrada de alguns parques etc) portanto cuidado para não perder, caso isso aconteça, …

Da Arquitetura e suas formas -Memorial descritivo do Terminal Rodoviário.

A Rodoviária que idealizei apresenta elementos que vão além da sua principal função que é locomoção interestadual. Apresentando dois pavimentos ela conta com serviços voltados ao cidadão, caixas eletrônicos, correios, posto de vacinação, salão cultural e uma ampla área destinada à alimentação, todos esses serviços levam cultura e lazer para os moradores do bairro servindo como uma opção de entretenimento daquela região. Para os que os futuros passageiros ou recém chegados a rodoviária apresenta estrutura que atende-os confortavelmente, contando com balcão de informação, saguão de espera amplo com vista para as saídas e chegadas de ônibus tanto no térreo quanto no pavimento superior.Para aqueles que ainda estão em viagem o edifício oferece, sala de espera e banheiros com a estrutura necessária para que o usuário usufrua-o da melhor maneira. Os funcionários trabalharão em espaços bem pensados e dimensionados de acordo com as suas rotinas de trabalho, funcionários da limpeza terão sala p…
As unhas afiadas reverberam no crânio, e elas, finas e precisas trazem êxtase e sono.
Durmo, ainda que de olhos abertos, desconectada do agora, no arrepio dos pelos, um bocejo e uma lágrima.