21 de abril de 2009

Sobre Skylines e Torres

Assim como as catedrais góticas tinham a ânsia de chegar aos céus com seus arcobotantes e contrafortes para mostrarem toda a imponência e poder do clero no final da Idade média ínicio do Renascimento numa tentativa de chocar,recuperar fiéis,mostrar ''quem ainda mandava'' os Skylines e Torres dos dias de hoje teem, ao meu ver,quase o mesmo objetivo.As megaempresas procuram ''arranhar céus'' como nunca se arranhou, pra que a sua estrutura física fique diretamente proporcional à sua importância, ao seu sucesso,à sua riqueza.Não é mais incomum ,nem por aqui pela América do sul,o aparecimento dessas megaconstruções,que segundo Jean Nouvel( arquiteto power, responsável pela Torre Agbar e outras) e mais centenas de arquitetos especialistas nesse tipo de edíficio, são projetos nervosamente procurados por empresários que teem em mente esse desejo em comum:terem suas filiais ou sedes cada vez mais verticais.
Apartir daí nasce a disputa velada entre arquitetos e seus parceiros da engenharia pelo projeto mais inovador,sustentável e com a escala mais descomunal possível,é claro.Surgem desafios , tanto pessoal por parte dos arquitetos, engenheiros,especialistas em solo quanto pra própria arquitetura pois ela também se desafia, pra mim a arquitetura é um eterno desafio quando analisada por essa ótica comercial, arquitetos que conseguem grandes clientes através de concursos disputadíssimos.A correria dos grandes escritórios é uma coisa muito louca e linda(arrepios).
Os skylines teem vantagens que vão além da busca de inovações, da quebra de fórmulas,da despadronização de tipologias,( pois durante um bom tempo não víamos projetos novos, em se tratando de grandes edificações tínhamos sempre a mesma tipologia, cópias das cópias, um control C control V, vergonhoso) e da disputa de egos dentre os profissionais, os skylines são elementos eficazes pra muitas patologias urbanas, uma delas é a elevada urbanização e ausência de vazios urbanos como é o caso de Hong Kong e outras centenas de lugares como a França, Espanha e a própria São paulo porque não?A verticalização das cidades é uma das, senão a melhor alternativa para o crescimento exacerbado do meio urbano.
Numa das últimas aulas de estruturas especiais que tivemos na faculdade assistimos um documentário fascinante sobre skylines, obras grandiosas e sistemas construtivos idem o DVD é de encher os olhos,te faz pirar e se sentir um NADA hahaha um cocôdomosquitodocavalodobandido.É tão deprimente quanto inspirador.Vou ficar devendo o nome do Documentário não achei na web, mas prometo adicionar um link assim que eu souber pois vale a pena.Fica a dica pros simpatizantes e pros meus futuros parceiros.

3 comentários:

  1. Sempre me deixa confusa o crescimento vertical, sei lá, tenho um medo incompreensível de obras gigantes, arranhando o céu.

    ResponderExcluir
  2. Ei, White riverANA.

    Tenho um certo medo de coisas que tentam arranhar o céu.

    ResponderExcluir

dá pitaco