29 de setembro de 2012

E no céu dessa tarde um pássaro ou dois disputam espaço no infinito.
(Como se suas asas fossem capazes de preencher todo o azul)
E eu de olhos pra cima, embriagada da vertigem que só ele dá, perdida entre um pensamento e outro. Traço planos mirabolantes enquanto oxigeno meu cérebro e massageio minhas escápulas...
- Fica, vai ter...
- Aliás, aí tem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

dá pitaco